3 materiais que garantem ótima absorção acústica a teatros e auditórios

4 minutos para ler

Forros de madeira, placas acústicas e forros minerais são soluções que oferecem bom condicionamento sonoro

Texto: Gisele Cichinelli

Conhecer as necessidades de cada projeto é fundamental para escolher a melhor opção, porque além de exigir alta qualidade sonora, ambientes destinados às atividades culturais e de lazer devem ficar protegidos dos sons externos. Visando encontrar soluções arquitetônicas e materiais que atendam a ambas as questões, o projetista deve ficar atento a diversos fatores, como as características acústicas, a localização e a finalidade a que se presta o espaço a ser projetado.

“Cada sala ou auditório tem um tipo de uso específico. Uma sala de cinema, por exemplo, deve ser ‘surda’, enquanto um auditório para concertos precisa ser reverberante. Já um auditório de palavras deve ser surdo no púlpito – onde ficará o palestrante –, mas reverberante na plateia, para que o som possa ser projetado”, lembra o arquiteto Nelson Dupré, da Dupré Arquitetura.

Auditório Porto Seguro
Projeto Acústico: Akkerman Projetos Acústicos

PAISAGEM SONORA

Em geral, projetos de teatros e auditórios apresentam ambientes de natureza ruidosa adjacentes a ambientes sensíveis, além de se tratar de espaços com grande concentração de pessoas. “Já fizemos um projeto em que tínhamos um auditório no térreo e, imediatamente acima, uma academia. Ao lado da academia, uma biblioteca”, recorda Fernando Alcoragi, diretor técnico da Akkerman Projetos Acústicos.

Por isso, o projetista deve estudar a fundo todo e qualquer tipo de atividade que irá ocorrer no local. Trata-se de uma atividade de natureza ruidosa? Ou uma atividade que exige concentração? Ou os dois tipos de atividade acontecerão simultaneamente? Essas são perguntas-chave que devem ser feitas antes das definições de projeto e da escolha dos materiais. As respostas a elas indicarão a “paisagem sonora” do local onde o espaço será implantado. Desta forma, é possível direcionar as soluções acústicas específicas para o tipo de atividade e local de implantação.

MATERIAIS CONSAGRADOS   

A arquitetura deve definir o conceito do projeto. Mas cabe ao profissional de acústica escolher os materiais usados para absorver o som. “Como arquiteto, posso dizer o que deve ser feito. Mas quem define como será feito é o projeto de acústica. É ele que ditará o tipo de material que será usado, seja ele totalmente reflexivo ou absolutamente absorvedor”, conta Dupré.

Se a necessidade for absorver o som nesse tipo de ambiente, o profissional de acústica tem em mãos ótimas opções no mercado. Veja a seguir:

FORROS DE MADEIRA

Esses forros são fabricados com madeira industrializada, modulada com uma grande variedade de acabamentos, perfurações e ranhuras. Também estão disponíveis na versão com madeira lisa. Destacam-se por possuir boa resistência mecânica, o que permite sua aplicação em paredes. Também têm boa amplitude acústica: absorvem e refletem o som. Ideais para ambientes que necessitam de um bom condicionamento acústico. Podem chegar a um NRC (Noise Reduction Coeficient) de 0.90. E, para ambientes que requerem maior segurança ao fogo, existe um painel de mdf produzido com resina anti-chama, Classe II-A, que atende as exigências do corpo de bombeiros, não apresentam restrições para sua aplicação.

PLACAS ACÚSTICAS (ILLTEC) 

O produto é composto por uma espuma não propagante ao fogo e possui bom coeficiente de absorção sonora, além de conferir rapidez e facilidade de instalação sem “quebra-quebra” na obra.  De acordo com Alcoragi, essas placas podem ser usadas em qualquer tipo de ambiente que necessite de um bom condicionamento acústico, com exceção de paredes próximas à circulação de pessoas devido à sua baixa resistência mecânica. Podem chegar a um NRC 0.90, o que confere características de elevada absorção sonora ao ambiente. 

FORROS MINERAIS

As placas acústicas produzidas em fibras minerais, compondo forros modulares suspensos por pendurais, são ideais para absorver e reduzir ruídos. Podem ser monolíticas, o que confere uma ampla variedade de formas de uso no projeto. Além da leveza, facilidade de instalação e variedade de acabamento, possuem excelente absorção sonora e são indicadas para todo tipo de ambiente que necessite de um bom condicionamento acústico, podendo chegar a NRC 1.0 | αw 100%

Vale lembrar que todos esses produtos podem compor o projeto de acústica com uma infinidade de outras soluções como madeiras, carpetes, cortinas e revestimentos de tecido, criando soluções únicas de projeto. 

COLABORAÇÃO TÉCNICA

Fernando Alcoragi – Diretor técnico da Akkerman Projetos Acústicos

Nelson Dupré – Arquiteto titular da Dupré Arquitetura

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.