Acústica arquitetônica: o que é e por que você deveria ficar por dentro deste conceito?

O desenvolvimento de um projeto de arquitetura pode ser mais complexo do que apenas colocar desenhos em um papel. Muitas estruturas têm outros trabalhos além de abrigar pessoas, como é o caso de teatros, auditórios e afins. Para esses casos, você deve pensar na acústica arquitetônica e em como ela afeta a entrega do projeto.

Como o nome já indica, esse conceito diz respeito à forma como o som se comporta dentro de um ambiente. Entender como as vibrações sonoras se propagam pode não parecer trabalho para um arquiteto, mas isso pode entrar em jogo em diversos trabalhos.

Se você ainda não está familiarizado com esse conceito e quer entender ainda mais a sua importância, continue a leitura deste post e descubra exatamente o que precisa saber!

Por que é importante entender de acústica arquitetônica?

Influência na função do local

Durante o desenvolvimento de um projeto de arquitetura, você tem a obrigação de considerar a demanda do seu cliente em cada detalhe. Afinal, se o produto completo não cumprir sua função, você não terá atingido seu objetivo — e isso inclui a qualidade acústica do ambiente em relação ao propósito daquele local.

Uma sala de aula ou auditório, por exemplo, exige um trabalho acústico bem específico. A voz do palestrante deve ser facilmente audível de qualquer ponto da sala, mas cochichos e pequenas conversas devem ser, de preferência, abafados. O mesmo vale para um teatro, em que cada som deve ser projetado do palco para todo o ambiente. Sem isso, será bem mais difícil para a audiência aproveitar o espetáculo.

Efeito na formatação do local

O posicionamento das paredes, cadeiras e até do teto pode ter grande influência no funcionamento da acústica arquitetônica do ambiente. Isso significa que, em alguns casos, pode ser necessário sacrificar parte do aproveitamento do espaço para garantir que o som se propague da forma esperada.

Um exemplo é a curvatura das paredes e do teto. Se a propriedade possui um padrão retangular, então o ideal seria encaixar todos os cômodos nesse formato. Se for necessário angular o teto ou as paredes para melhorar o som, você perderá parte do espaço em algum lugar. É melhor estar ciente disso de antemão e encontrar outras formas de otimizar seu espaço ao redor dessas limitações.

Materiais mais adequados

Você provavelmente já viu projetos em que o isolamento acústico era uma preocupação constante. Para lidar com isso, provavelmente foram utilizados materiais que impedem a propagação do som, diminuindo seu efeito. De forma similar, é possível utilizar materiais diferenciados para fazer com que o som se comporte da forma que você deseja em determinados ambientes.

Um exemplo disso é a utilização de pequenas placas metálicas em um teto alto. Além de servirem para criar uma iluminação difusa, eles também permitem a distribuição mais ampla do som, facilitando a audição em todos os pontos do local. Junto a outras práticas, isso ajuda a manter a qualidade sonora sem gerar custos extras.

Quais são os principais pilares da acústica arquitetônica?

Fontes de ruídos externos

A localização do projeto já determina boa parte dos barulhos com os quais você precisa se preocupar durante seu planejamento. Há grande circulação de carros em volta? Um aeroporto? Sons vindo da ventilação ou outros tipos de maquinário? Tudo isso precisa ser levado em conta na hora de planejar a localização do ambiente.

A questão é que você pode planejar seus projetos para minimizar o impacto desses componentes na maior parte do ambiente. Por exemplo: evitar inserir equipamentos que façam muito barulho como elevadores e centrais de ventilação próximos a auditórios, onde o silêncio é valioso. São escolhas simples que não prejudicam seu orçamento!

Tempo de reverberação

Esse é um conceito um pouco mais elaborado, mas que ainda se aplica ao seu trabalho de arquitetura. Formalmente, o tempo de reverberação do ambiente é o tempo que leva entre a interrupção de uma fonte sonora e uma queda de 60dB na pressão sonora daquele ambiente. Experimente bater palmas uma vez e veja quanto tempo aquele som fica “no ar”.

Ao desenvolver a acústica arquitetônica, seu objetivo é buscar o tempo de reverberação ideal para aquele ambiente e seus objetivos. Um alto tempo de reverberação produz som mais intenso, mas mais difuso e difícil de compreender. Um tempo mais curto diminui o impacto do som, mas o torna mais audível.

Qualidade de sonorização

No geral, você quer que a qualidade do som em qualquer ambiente seja tão alta quanto possível. De forma que ninguém tenha muita dificuldade para se comunicar. Isso é o que chamamos de sonorização do ambiente, o que diz respeito a um grande conjunto de fatores. Quanto mais deles forem levados em consideração, melhor.

Coisas simples como a qualidade do material utilizado, a formatação, a disposição dos ambientes e o uso de corredores fazem uma grande diferença. Há muitas outras técnicas de acústica arquitetônica que você deve dominar além dessas que citamos se quiser assegurar um projeto de qualidade para seus clientes. Quanto antes você puder se atualizar, melhor.

Ruído e isolamento acústico

Assim como sabores e cores, os sons também se misturam para criar outros. No entanto, como você já deve saber, nem sempre eles são harmoniosos entre si. O que cria um efeito de ruído. Esse costuma ser o caso dos barulhos da rua, da ventilação, de passos e mesmo de outras salas dentro do ambiente em questão.

Uma forma de lidar com isso é investir em materiais de isolamento para ambientes que não devem compartilhar sons. Um estúdio musical, por exemplo, precisa ser tão sonoramente separado do ambiente externo quanto o possível, pois o ruído prejudicaria a qualidade da gravação. Da mesma forma, uma palestra não precisa poluir sonoramente uma sala de espera ou um corredor.

Agora que você entende um pouco mais sobre a acústica arquitetônica e sua importância em diversos projetos, é hora de continuar se atualizando para melhorar os resultados do seu trabalho. Se quiser aprender mais sobre o tema, confira o nosso glossário da acústica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This