Afinal, como e por que reduzir o ruído no ambiente hospitalar?

Além de enfrentar diariamente os desafios ligados ao bem-estar dos pacientes, os profissionais da área da saúde também lidam com os incômodos causados pelo ruído no ambiente hospitalar.

A origem pode ser externa e interna, já que as causas sempre variam. Monitores cardíacos, ambulâncias, ligações telefônicas, ar-condicionado, equipamentos de emergência e bombas de vácuo costumam ser os principais emissores de barulhos nesses ambientes. Sem contar com o trânsito e outros fatores de fora.

Neste post, explicaremos mais sobre a necessidade de resolver o problema da emissão de ruído no ambiente hospitalar.

Regulamentação para redução de ruído no ambiente hospitalar

O excesso de ruído é uma dificuldade que se agrava em hospitais de diversos lugares do mundo. Segundo um estudo do periódico Archives of Internal Medicine, da American Medical Association, o nível de barulho na maioria das clínicas ultrapassa os 50 decibéis. Em alguns casos, chega a registrar 80 decibéis, equivalendo ao som emitido pelo transito intenso, com ônibus e caminhões.

Os níveis vão além do que é estabelecido como “não incômodo” pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Esta determina que um limite para quartos de hospital de 40 decibéis pela manhã e 35 decibéis durante a noite.

No Brasil, as variações definidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não estão distantes. A norma responsável por essa medição é a  NBR10152/2017, que estabelece uma variação de 35 a 45 decibéis.

Você quer saber o porquê do limite ser tão reduzido? Continue acompanhando!

Danos causados pelo ruído no ambiente hospitalar 

Ao ver placas de silêncio espalhadas em um hospital, não se trata apenas do incômodo para os profissionais da saúde, mas, principalmente, para os pacientes, a poluição sonora em um complexo médico pode retardar o processo de recuperação dos pacientes, colocando a própria função do hospital em cheque.

O sono é um fator essencial no processo de recuperação e tratamento de inúmeros problemas de saúde. Por sua vez, ele pode ser interrompido facilmente quando há barulho em excesso.

Além disso, os ruídos fora dos padrões tendem a causar alteração na pressão arterial, danificando o processo de cicatrização de lesões e incisões.

Entre as qualidades que um bom ambiente com conforto acústico pode proporcionar aos pacientes, podemos citar:

  • redução da pressão sanguínea;
  • melhora da qualidade do sono;
  • redução da ingestão de medicação para dor;
  • melhora da comunicação;
  • redução dos níveis de estresse;
  • melhora da segurança do paciente;
  • melhora do bem-estar e do desempenho da equipe.

Soluções para redução da poluição sonora em hospitais

Como você talvez já saiba, a melhor maneira de se combater o barulho dentro dos hospitais é implementando um projeto de isolamento acústico e condicionamento interno na arquitetura do ambiente, para proporcionar conforto.

Qualquer clínica médica é composta por muitas salas, corredores e unidades de tratamento. Assim, cada local requer um estudo específico para reduzir os ruídos e as vibrações excessivas.

Corredores

Em ambientes de saúde, os corredores costumam ser áreas de bastante movimento. Uma boa parte da comunicação entre a equipe acontece nesse espaço. Tudo isso faz com que o som se propague rapidamente ao longo dos corredores, afetando os quartos que estão conectados a ele.

Para resolver esse problema, você pode investir em um forro com boas qualidades de absorção e eficiência na redução da propagação do som, que também ofereça proteção a microorganismos compatível com áreas de saúde, melhorando a qualidade do ambiente.

Unidades de emergência

As unidades de emergência são espaçosas e bem abertas. Elas costumam ser próximas da entrada da ambulância, o que eleva o nível de barulho e estresse.

Como erros médicos podem acontecer nas unidades de emergência por conta de falhas de comunicação ocasionadas pela poluição sonora, é necessário ter atenção redobrada com esse ambiente.

O tratamento acústico engloba isolamento, absorção e, em certos casos, amortecimento de vibrações.

O estudo de lay-out na utilização de divisórias com bom isolamento e de forros acústicos são fatores fundamentais para se proporcionar conforto, redução de ruido e dessa forma, proporcionar boas condições de comunicação.

Áreas administrativas

As áreas administrativas de um hospital costumam ser escritórios, salas de reunião e enfermagem.

Nesses locais, é comum que médicos compartilhem o mesmo espaço em um ambiente onde a clareza de informações é prioritária.

Dentre as opções mais práticas, é possível melhorar a qualidade de propagação sonora fazendo um balanço na quantidade de materiais duros na sala. Sempre que puder, troque-os por estofados capazes de absorver o som.

Se o ambiente tiver janelas, você pode investir em modelos acústicos ou até mesmo trabalhar melhor a vedação de janelas comuns. Verifique se suas folhas têm boa vedação e se as escovas e gaxetas estão em boas condições. Além disso, forros acústicos e revestimentos de parede são alternativas interessantes.

Espaço para cuidado dos idosos

As áreas destinadas para idosos merecem cuidado especial para que os pacientes se sintam seguros, calmos e confortáveis. O impacto do ruído é um grande inimigo dessas sensações desejadas. Portanto, estes ambientes devem receber atenção redobrada.

Como esse tipo de espaço tende a receber muitas pessoas com deficiência auditiva, os profissionais da área podem ser forçados a elevar o tom de voz. Os ambientes com acústica adequada e baixa reverberação oferecem maior clareza e melhores condições de comunicação. Quanto mais o projeto puder investir para assegurar o bem-estar e a privatização do ambiente, melhor será para todos os envolvidos.

Forros Acústicos serão bem-vindos nesse espaço, para favorecer a clareza do som. Dependendo do projeto, você também pode levar em conta a instalação de portas e janelas acústicas.

UTIs, maternidades e laboratórios

Áreas especializadas podem ser muito estressantes tanto para pacientes quanto para funcionários. A equipe precisa fazer escolhas em poucos segundos, elevando a necessidade de uma comunicação sem impedimentos.

Para absorver o ruído dos equipamentos você poderá investir em forro de alto desempenho acústico com propriedades de proteção de microorganismos adequadas para áreas hospitalares. A aplicação de revestimentos acústicos nas paredes irá contribuir na redução do ruido em excesso, melhorando a clareza da fala.

Caso haja divisórias, preocupe-se com esses detalhes na hora da construção, optando por modelos que oferecem maior privacidade, por exemplo.

Como pudemos ver, sempre será possível reduzir uma parte dos ruídos em clínicas e hospitais com o uso de produtos acústicos.

A instalação de portas e janelas acústicas nos quartos sempre será uma opção interessante, assim como a aplicação de mantas nas tubulações para redução de ruído dos tubos pneumáticos.

Outras medidas comuns, como instalar dobradiças com amortecedores em portas e enclausurar equipamentos barulhentos, são válidas na hora de mandar embora a poluição sonora.

Se você gostou de saber mais sobre como reduzir ruído hospitalar.

assine nossa newsletter gratuita e fique por dentro das novidades deste mercado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This