Como amenizar os efeitos da poluição sonora em projetos residenciais?

6 minutos para ler

 

No desenvolvimento de uma casa ou apartamento, é importante lembrar como a forma com que o projeto é construído afeta a qualidade de vida do futuro morador. Isso não se resume apenas à distribuição dos cômodos na planta, mas em como a construção lida com a poluição sonora que pode afetar o local.

Como você já deve saber, essa forma de poluição consiste no excesso de ruído em determinado local. A poluição sonora é comum ao dia a dia das cidades, principalmente próximo a lugares com avenidas movimentadas, casas de festa ou mesmo aeroportos, podendo ser consequência também do barulho produzido pelos vizinhos – música alta, reformas etc. Um bom projeto de isolamento acústico residencial pode eliminar ou minimizar esse problema.

Se você está procurando soluções para o ruído em seus projetos residenciais, não se preocupe. Vamos falar um pouco mais sobre a importância desse cuidado e como você pode lidar com a situação. Acompanhe!

Quais efeitos negativos a poluição sonora pode gerar?

Perda de audição

O sistema auditivo, diferentemente de um músculo, não fica mais forte quando é levado além de seus limites. As células e nervos auditivos, responsáveis por receber e enviar a informação sonora ao cérebro, deixam de funcionar plenamente, quando submetidos ao excesso de ruído.

A perda da audição pode ocorrer de forma temporária ou permanente, dependendo do tipo de exposição sonora. A perda temporária é aquela que após algum descanso, o sistema auditivo volta ao normal, por exemplo, a sensação de “surdez” após sair de um show ou escutar música alta no fone de ouvido. A perda permanente pode ocorrer de forma imediata. É causada por sons impulsivos como explosões ou tiros próximos à orelha, ou a longo prazo, devido ao acumulo de exposições ao barulho em excesso.

Não é possível chegar ao fim da vida com a mesma audição de uma criança, pois a perda auditiva é um processo natural que ocorre também com a idade, mas estar exposto ao barulho por tempo prolongado acelera consideravelmente esse processo. Se você passar vários anos assim, pode ter problemas para escutar antes dos 30 anos de idade.

Dificuldade para dormir

Obviamente, é muito mais difícil pegar no sono quando há estímulos muito fortes ao seu redor. Por isso, o recomendado é apagar as luzes, reduzir o barulho, ficar confortável e, em alguns casos, introduzir um ruído de fundo, como ventilador ou música ambiente — isso é consideravelmente mais difícil com o som de carros ao redor.

A má qualidade de sono causada pela poluição sonora pode ter consequências ainda mais graves a médio e longo prazo. Perda de rentabilidade nos estudos ou trabalho, estresse prolongado, dores de cabeça e úlceras são algumas das coisas que podem acontecer nessa situação.

Problemas de concentração e estresse

Mesmo que o excesso de barulho não seja um problema na hora de dormir, você também sofre danos quando é exposto ao som ao longo do dia. Isso é ruim para pessoas que passam a maior parte do dia em casa, como aposentados, crianças ou profissionais de home office.

O barulho constante invariavelmente afeta a sua capacidade de concentração, o que pode tornar tarefas simples do dia a dia muito mais pesadas. Uma faxina de duas horas pode durar mais de três ou quatro horas se você ficar exausto por causa do som ou se o seu humor impedir que você faça tudo corretamente.

Quais estratégias você pode usar para amenizar esse problema?

Utilize isolamento acústico nas paredes

Esse é o método mais comum para diminuir o impacto da poluição sonora dentro do seu projeto. Quando as paredes são muito finas e leves, o som tende a passar de um lado para outro com facilidade. Dependendo do material, e da frequência do som, o impacto pode até gerar um efeito “tambor” (ressonância). Ou seja, fazer com que o som seja amplificado do outro lado.

Para evitar essa situação, o ideal é investir em materiais com alta capacidade de isolamento acústico. Combinar materiais também pode ser interessante, aumentando a eficiência no bloqueio do som.

Vede corretamente todos os vidros

Como regra, se o ar pode passar por um espaço, então o som também pode. Por isso, há uma diferença tão grande na propagação do som quando você deixa as janelas fechadas ou abertas. O importante é evitar frestas e aberturas, vedando bem na instalação o encaixe entre o vidro e a moldura. Na pior das hipóteses, o vidro pode começar a vibrar junto com o som, amplificando-o.

Felizmente, é possível evitar ou minimizar esse problema. Basta escolher janelas que sejam bem construídas e, se necessário, providenciar um reforço na junção entre a moldura e o vidro. Pode não ser um investimento tão alto e isso aumenta a qualidade do imóvel.

Afaste quartos e sala do ambiente externo

Esse é uma técnica não tão comum. Muitas pessoas preferem ter uma janela voltada para a frente da casa ou do apartamento. No entanto, o impacto do ruído pode ser minimizado sem custos adicionais apenas reposicionando os cômodos da residência. O que não significa que seu projeto será comprometido. É preciso saber como lidar com seus recursos.

A ideia aqui é simples: quanto mais camadas o som precisa atravessar, mais fraco ele tende a se tornar. Sendo assim, colocar os cômodos mais sensíveis, como dormitórios, longe do maior emissor de ruído aumenta o número de camadas entre a fonte sonora e ele. Isso faz com que a cozinha, o banheiro e a área de serviço, por exemplo, fiquem mais próximos da fonte de ruído, já que são cômodos em que as pessoas são menos sensíveis ao som.

Saiba mais

Agora que você tem essas informações, já sabe como lidar com a poluição sonora nos seus projetos residenciais. Se quiser mais dicas, veja nosso artigo sobre como fazer o tratamento acústico correto de uma casa.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

-