Como é possível proporcionar conforto acústico em edifícios comerciais?

Existem vários critérios que precisam ser considerados por um arquiteto, como o posicionamento dos ambientes e a adoção de medidas sustentáveis. Assim, é necessário ter cuidado e atenção em todas as suas atividades — o isolamento acústico em prédios é uma das questões mais importantes.

Barulhos em excesso atrapalham o desempenho do usuário da edificação e, em alguns casos, estão fora dos padrões exigidos por normas. Outros ambientes, como os shoppings, devem proporcionar uma ótima experiência aos seus usuários e precisam ser planejados com cuidado.

Essas questões estão atreladas à notoriedade de sua empresa no mercado e devem ser consideradas nos projetos. Pensando nisso, elaboramos este post para ajudar você a entender um pouco mais sobre o assunto. Confira!

Qual é a importância do isolamento e condicionamento acústico em edifícios?

Um local de trabalho confortável e agradável é imprescindível para o bom desempenho dos funcionários de uma empresa. Imagine ter que ficar oito horas por dia em um ambiente barulhento? Essa situação é prejudicial à performance de uma pessoa, não é mesmo?

Além disso, ambientes grandes, como praças de alimentação e lojas, exigem acabamentos que promovam o conforto acústico. Isso é importante para que as conversas paralelas não reverberem pelo local, elevando o nível de ruído além do recomendado.

Nesses casos, a utilização de forros acústicos é a melhor maneira de criar um espaço adequado às exigências dos usuários de prédios e shoppings.

As salas de cinema, por exemplo, devem ter layout e materiais que promovam a isolação perfeita, fazendo com que os sons emitidos não passem de uma sala para a outra, atrapalhando as seções vizinhas e prejudicando a atenção do espectador.

Ele é obrigatório?

A construção civil tem inúmeras normas que padronizam a atuação profissional em nosso país. Elas dão mais segurança aos trabalhadores e garantem a qualidade nos projetos. A norma NBR 15575 torna obrigatório o isolamento de fachadas, entre pavimentos e divisão de unidades distintas de prédios residenciais.

Para os edifícios comerciais e corporativos não há obrigatoriedade, mas existem normas com critérios de nível máximo de ruído de acordo com o uso e a ocupação da edificação que podem ser seguidas — como a NBR 10152.

Preocupadas em oferecer maior qualidade aos usuários, algumas construtoras já estão aplicando essa tecnologia em todos os tipos de empreendimentos. Obras de pequeno, médio e grande porte se beneficiam dessa situação e criam ambientes mais seguros e confortáveis.

Lembre-se de que clientes de alto padrão, como os edifícios corporativos, já estão exigindo essa solução em projetos. Portanto, é essencial antecipar essa tendência e mostrar ao mercado que você está preocupado com o condicionamento acústico na construção.

Quais conceitos devem ser lembrados?

Primeiramente, é necessário entender alguns termos. O condicionamento acústico é uma técnica que evita a reverberação do som pelo ambiente por meio do uso de materiais para absorção sonora. Assim, é possível atenuar a propagação do som e reduzir o nível de ruído, proporcionando maior clareza e compreensão à comunicação.

Os forros, as placas acústicas e outros materiais porosos absorvem o som e eliminam a reflexão excessiva. Dessa forma, uma conversa realizada em um restaurante, por exemplo, não incomodará ou interferirá nas conversas das mesas vizinhas.

Pois bem, o isolamento acústico em prédios é uma prática que tem o objetivo de impedir a propagação do barulho entre ambientes. Ele é feito com materiais básicos, como paredes de alvenaria, blocos de concreto mais espessos ou sistemas de paredes duplas.

Quanto maior for a composição dessas paredes, maior será o poder isolante da estrutura. Ademais, é possível proteger os edifícios vizinhos de grandes lojas e centros de compra dos ruídos gerados pelo sistema de ar-condicionado central — que ficam geralmente na cobertura — por meio de projetos específicos de isolamento acústico.

Quais são as soluções aplicadas?

O primeiro passo para um projeto de sucesso está relacionado ao posicionamento dos ambientes e à criação de um layout eficiente. Um prédio construído em frente a uma avenida muito movimentada, por exemplo, exige cuidados especiais em sua fachada.

O uso dos materiais e o posicionamento das janelas não pode ser aleatório: todos esses detalhes devem atender às exigências normativas. Os ambientes com mais exigência acústica, como as salas de reunião, devem ficar o mais longe possível da rua.

Lembre-se de que é necessário separar regiões ruidosas de áreas que exigem mais silêncio. Com o dimensionamento correto da fachada e a avaliação eficiente do layout, é possível otimizar os investimentos no projeto acústico e garantir o conforto e a privacidade nos ambientes.

Áreas que concentram muitas pessoas, como as praças de alimentação, precisam do condicionamento acústico proporcionado por forros e revestimentos com absorção sonora. Assim, é preciso estudar a acústica do ambiente e apresentar uma solução adequada à sua finalidade.

Forros acústicos para absorção ou difusão sonora são exemplos de opções que podem ser utilizadas nesses casos.

Quais cuidados devem ser tomados em cada projeto?

As divisórias que separam esses locais têm um importante papel no isolamento acústico. Já nas situações em que não há essa exigência, elas têm funções estéticas ou organizacionais. Os forros e os revestimentos acústicos são distribuídos de acordo com a necessidade de cada ambiente.

Um departamento de call center, por exemplo, é um local onde as pessoas falam o tempo todo. Quando o ambiente apresenta superfícies polidas e lisas, ocorre reflexão excessiva do som — situação prejudicial ao trabalho dos funcionários. Nessas horas, um forro acústico com um bom índice de absorção sonora é um elemento que não pode faltar em seu projeto.

Um ambiente aberto, com vários profissionais atuando ao mesmo tempo, é uma situação comum em prédios comerciais. Ao reduzir completamente os ruídos, você abre brechas para que qualquer pessoa escute o que o outro está dizendo. Portanto, é interessante melhorar o poder de absorção das paredes e do teto com cautela.

O que considerar em uma sala de cinema?

Em muitos casos, os cinemas têm uma entrada principal e duas saídas de emergência. Esses lugares, quando não são bem projetados, favorecem a perda de som. Por isso, é preciso utilizar portas acústicas com antecâmaras.

O revestimento do piso não pode ser esquecido também. O assoalho pode ser em carpete, que absorve os impactos originados pela circulação de espectadores, preenchido com materiais de alta densidade acústica. As paredes devem trabalhar de forma semelhante, evitando a reverberação.

Ao ler este post, você descobriu como o isolamento acústico de edifícios comerciais ou corporativos é um fator determinante para o sucesso de sua empresa. Ele influencia diretamente a forma como os usuários de suas obras desempenham as suas funções.

Por esses motivos, ele deve estar de acordo com os padrões exigidos pela norma NBR 15575 e NBR 10152, que informam os critérios importantes para obter conforto acústico em um ambiente.

Além disso, fique atento para trabalhar com fornecedores de forros e outros produtos que contribuam para o condicionamento acústico e respeitem a natureza. Faça uma pesquisa de mercado e encontre um parceiro com muita experiência.

Quer aprender ainda mais sobre os assuntos mais relevantes sobre arquitetura? Então, siga conosco e leia mais um de nossos materiais. Veja o que é a norma NBR 10152 e conheça todo o seu impacto no mercado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This