condicionamento acústico em igrejas

Para a boa convivência e comunicação em qualquer ambiente que a pessoa esteja, é necessário que tenha conforto ambiental, um conjunto de exigências que o usuário espera encontrar nos ambientes ocupados para suas atividades diárias de trabalho e lazer, como estudar, conviver, repousar, entre outras.

O Conforto ambiental engloba: conforto térmico, lumínico e acústico. Todos são importantes para promover bem-estar daqueles que usufruem do ambiente construído. Mas hoje vamos abordar o Conforto Acústico em Igrejas.

Quem vai até uma igreja espera encontrar um ambiente de reflexão e paz! Onde possa receber palavras de encorajamento e sabedoria, ouvir músicas para meditação e enlevo. Desfrutando momentos agradáveis de convívio com amigos e familiares.

Quando as pessoas precisam desenvolver um esforço extra para compreender o que está sendo dialogado e apresentado, isso pode causar o desinteresse e distração, quebrando o propósito principal que é a meditação.

Cada igreja tem suas particularidades e diferentes cerimoniais, como as Igrejas Católicas, Protestantes, Evangélicas, Sinagogas e até mesmo Templos Budistas.

  • Por exemplo, algumas são construídas em alvenaria e vidro, materiais acusticamente refletores, portanto irão apresentar maior reverberação sonora, um artifício muito importante para coral e órgãos de tubos, porém, pode não ser tão bom para a compreensão da palavra falada.
  • Outras, utilizam mais revestimentos, como carpetes e bancos almofadados, o que favorece o sermão, de certa forma, por ter menor reverberação, mais ajustada para palavra.

De qualquer forma, todas merecem uma análise acústica mais detalhada para garantir inteligibilidade e clareza do som para quem as frequenta, como também garantir isolamento acústico para evitar distúrbio das áreas vizinhas, principalmente se a igreja estiver localizada próximo às áreas residenciais.

A qualidade sonora exigida em igrejas é relativamente complexa, isto porque é preciso preparar o ambiente tanto para a compreensão de palestras, que exigem um ambiente menos reverberante, como de música, que normalmente exigem ambientes mais reverberantes ou “vivos”.

Dessa forma, a ajuda de um especialista no assunto garante a escolha correta de materiais de acabamento, além dos equipamentos de som mais adequados a cada estilo de culto, com o objetivo de obter o melhor resultado para cada projeto.

Pensando nisso, neste post, elaboramos uma lista dos itens que merecem atenção especial para a qualidade sonora em igrejas. Acompanhe!

1. Forros Acústicos

O forro de uma igreja é um dos principais elementos na distribuição do som, por isso merece atenção especial. Os forros podem apresentar diferentes formatos, curvos, inclinados, em duas águas ou em camadas. O importante é que distribua o som para a igreja de forma balanceada.

Existem muitos materiais que podem ser utilizados para o teto de igrejas, como forros de gesso, forros minerais, forros de madeira ou ainda elementos suspensos chamados de Nuvens Acústicas. Assim como o forro, as Nuvens Acústicas podem refletir ou absorver o som, de acordo com o material de que são feitas.

Por exemplo, o forro de madeira liso pode atuar como refletor ajudando a levar o som para a plateia mais ao fundo, enquanto o forro de madeira perfurada e/ou frisada, como absorvedor acústico, eliminando reflexões mais tardias que prejudicam a inteligibilidade.

O forro mineral também oferece diversas texturas e índices de absorção sonora, além de modulações, tipos de bordas e ótimo custo/benefício. Existem vários forros modulares, mas esse vem ganhando mais adeptos e espaço nos projetos arquitetônicos de igrejas.

Entretanto, a melhor paginação e distribuição destes materiais de reflexão e absorção sonora exige uma consultoria acústica, que vai analisar o projeto como um todo, avaliando a contribuição de todos os elementos.

Outro ponto importante é determinar se a cobertura oferece isolamento sonoro adequado, para bloquear a entrada dos ruídos de chuva e do transito, como também evitar que os sons da cerimônia perturbem a vizinhança. Se cobertura for feita de material leve, como telha metálica, o forro falso bem dimensionado pode ajudar a corrigir este problema.

2. Revestimento de paredes

Como profissional da área de arquitetura, você deve saber que as paredes das igrejas pedem um acabamento diferenciado, para promover ambientação ideal. Assim como o teto, as paredes têm grande influência na forma como o som é distribuído pelo ambiente.

A escolha assertiva de revestimentos acústicos e outros elementos pode corrigir alguns problemas e fazer a diferença na clareza e inteligibilidade sonora.

Dessa forma, você pode investir em revestimentos de madeira ou tecido, entre outros detalhes e molduras. Mas lembre-se: use produtos que tenham desempenhos comprovados, com certificados e laudos que confirmem o seu comportamento acústico, segurança ao fogo, características sustentáveis, além de informações sobre manutenção.

Aplicando o revestimento certo, distribuído da forma correta, é possível reduzir a reverberação e garantir a clareza e inteligibilidade sonora da igreja, otimizando inclusive o desempenho das caixas acústicas.

3. Janelas e portas

De um modo geral, as paredes de grandes construções, como igrejas, já oferecem um bom isolamento acústico. Portanto devemos ser criteriosos ao escolher portas e principalmente janelas para compor as fachadas. Uma vez que igrejas normalmente utilizam grandes elementos envidraçados, muitas vezes com efeito decorativo.

As portas e janelas acústicas irão proporcionar conforto acústico por impedir a entrada dos ruídos de avenidas movimentadas e de  construções vizinhas. Assim como evitar que os sons da cerimônia perturbem as casas e edifícios vizinhos.

Você sabia que janelas acústicas proporcionam reduções sonoras equivalentes à sensação psicológica de 60% a 80% no nível dos ruídos? Isto acontece porque as áreas abertas têm grande influência no isolamento de paredes e divisórias. Qualquer fresta pode pôr a perder todo o sigilo de uma eficiente divisória.

As janelas e portas acústicas já têm estruturas modificadas com o objetivo de barrar os ruídos mais elevados. De acordo com o isolamento requerido, elas podem ser fabricadas a partir de vidros duplos ou triplos. Além de ter caixilhos mais espessos feitos de alumínio ou PVC.

Uma boa dica é utilizar as portas de madeira maciça, que oferecem melhores resultados, mas que exigem maiores cuidados para obter o isolamento acústico satisfatório. Podem ser personalizadas e instaladas em qualquer ambiente, de acordo com o seu propósito.

4. Conclusão

Como você pôde perceber, é possível fazer o condicionamento acústico em igrejas! De maneira que garanta o conforto dos usuários e a execução das atividades de forma agradável. E, ao mesmo tempo, garantir a tranquilidade das áreas residenciais vizinhas.

Confira nossas dicas e procure orientação sobre os diferentes tipos de materiais para fazer a melhor escolha durante o projeto.

O que achou deste conteúdo? Caso queira se aprofundar um pouco mais sobre os assuntos que envolvem acústica, confira nosso artigo que aborda as diferenças entre isolamento acústico e absorção sonora . Boa leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This