Well building standard e o conforto acústico

As edificações sustentáveis não são novidades no universo da engenharia e arquitetura. Como complemento da certificação ambiental LEED, o selo WELL Building Standard chegou para acrescentar o foco em humanização a esse conceito.

A certificação LEED de construção, criada pelo Green Building Council, em 1998, garante o reconhecimento de projetos sustentáveis ao redor do mundo que controlam o nível de emissão de CO2 e o desperdício de recursos naturais, como energia e água. O propósito do selo LEED é, sobretudo, o empreendimento em si e o impacto dele no meio ambiente.

Mas, você já ouviu falar em construções humanas, que colocam o conforto e a saúde de seus ocupantes em primeiro lugar?

Foi pensando nisso que surgiu, no âmbito da construção civil, a certificação WELL. O primeiro selo a concentrar esforços exclusivamente em ambientes construídos que prezam pelo conforto e qualidade de vida das pessoas.

Ao saber que um projeto arquitetônico tem a chancela WELL Building, é certo que aquele espaço estará repleto de pessoas menos estressadas e mais produtivas, certo? Acompanhe o post e saiba mais sobre o assunto.

Saúde e bem-estar nas construções

Em 2014, o International WELL Building Institute (IWBI) lançou o selo WELL para empreendimentos que ajustam suas operações e estrutura com o propósito de oferecer melhorias que impactam na qualidade de vida, saúde e bem-estar dos usuários.

Foi depois de muitas pesquisas que cientistas, médicos e engenheiros civis concluíram sobre a importância do reconhecimento de construções que fossem além das adequações no espaço físico.

Nesse cenário, os projetos são arquitetados para que pessoas frequentem e se relacionem em seu interior. Se sentir acolhido e confortável são características que fazem parte de uma boa experiência. E estão diretamente ligadas ao rendimento de cada um nesses ambientes.

Controle de emissão de ruídos, da temperatura do ar-condicionado, ventilação, iluminação e até alimentação são alguns dos “detalhes” que devem estar em harmonia. Dentro do padrão WELL.

A certificação é mais comum em prédios corporativos, onde há o enfoque em desempenho e resultados de trabalho. Mas nada impede que ambientes como escolas, hospitais, edifícios comerciais e hotéis obtenham a certificação para garantir os impactos positivos das construções humanizadas.

Critérios para retirar o selo WELL Building

São 102 características entre sete grupos a serem avaliados no processo de certificação. São eles:

  • ar;
  • água;
  • alimentação;
  • iluminação;
  • fitness;
  • conforto (acústico, térmico e olfativo);
  • mente.

Dependendo do nível de cumprimento dos requisitos, o certificado é concedido em três níveis de exigência: Ouro, Prata e Platina.

As sete categorias acima têm relação direta com os sistemas do corpo humano e seu funcionamento. Ações que otimizam a iluminação de um ambiente podem alterar os ritmos circadianos, por exemplo. E a diminuição de ruídos acarreta em menor esforço para a concentração e o raciocínio na execução de tarefas. Ou seja, reduz o estresse.

No Brasil, apenas uma empresa é certificada com o WELL Building Standard. Localizada em São Paulo, a Setri foi a primeira do país e da América Latina a obter a certificação. Para isso, foi preciso apenas adaptações pontuais no espaço do escritório de 50 m².

Depois de estar com o WELL em mãos, a construção deve passar por novo processo de certificação a cada três anos. Para garantir que continua cumprindo os critérios de desempenho, a qualidade das operações e a possibilidade de evolução de nível ao atingir as outras categorias do selo.

As vantagens das construções no padrão WELL

Segundo o relatório ‘Saúde, Bem-estar e Produtividade nos Escritórios’, realizado pelo World Green Building Council, os fatores que afetam a produtividade nos ambientes corporativos são os seguintes:

  • qualidade do ar: baixos níveis de poluentes e de CO2, aliados à ventilação favorável, são capazes de aumentar a taxa de produtividade nos escritórios de 8 a 11%;
  • conforto térmico: o controle individual de temperatura com graus moderados deixam os funcionários mais confortáveis. Impactando assim no desempenho do trabalho;
  • iluminação e paisagem: ambientes iluminados, com vista para a natureza e janelas contribuem para a qualidade de vida. E também para a produção dos ocupantes do prédio;
  • biofilia: a presença de plantas e luz natural, por exemplo, podem deixar os espaços de trabalho mais leves e os funcionários mais criativos;
  • acústica: ambientes calmos, sem ruídos desagradáveis ou conversas paralelas, estimulam a concentração dos ocupantes, o que acarreta na redução de estresse;
  • layout interno: a preocupação com a configuração do espaço, cores e objetos de decoração podem impactar positivamente os resultados das pessoas no escritório;
  • projeto ativo: o estímulo para funcionários cuidarem da saúde, como o acesso a espaços verdes, bicicletários e à academia, também provocam o bem-estar dos colaboradores;
  • localização: a proximidade da empresa com escolas, restaurantes e áreas de lazer, por exemplo, também são comodidades determinantes para a satisfação e produtividade dos funcionários.

Vale destacar que proporcionar condições de incentivo para hábitos saudáveis e de sustentabilidade humana, as empresas com WELL refletem uma boa imagem ao mercado e à sociedade. E, ainda, acirram a vantagem competitiva por agregarem valor ao negócio.

Conforto acústico e produtividade

Para atingir o conforto acústico, a certificação WELL estabelece índices de absorção sonora para tornar espaços adequados para de atividades de qualquer natureza. Tudo com o objetivo de proporcionar maior comodidade ao usuário.

O WELL determina soluções acústicas de acordo com cada projeto para conquistar os parâmetros de absorção ideais.

Absorção sonora em paredes e forros, tempo de reverberação adequado para ambientes específicos, nível máximo de ruídos, isolamento de barulhos externos e o amortecimento de ruídos em áreas com grande movimento de pessoas e em piso de corredores são algumas das soluções acústicas apontadas pelo selo.

O controle de sons desagradáveis proporciona ambientes mais silenciosos, propícios ao raciocínio e comunicação devido à baixa reverberação de vozes. Principalmente onde há muitas pessoas falando ao mesmo tempo, como salas de aula, escritórios ou empresas de telemarketing.

É comum, em espaços barulhentos, que as pessoas se equivoquem achando que se acostumaram com sons desgastantes na rotina.

Pode ser a incessante conversa paralela, o trânsito movimentado da rua que “vaza” para o interior dos espaços. Na verdade, o longo tempo de exposição aos barulhos coloca as pessoas em um ciclo vicioso e acabam não percebendo.

O saldo disso é o de noites mal dormidas, constante sensação de cansaço e baixo rendimento nas atividades diárias.

Pensar no conforto acústico é garantir a saúde mental e auditiva das pessoas que habitam qualquer ambiente construído.

Quer se informar mais sobre o universo da construção civil e conforto acústico? Assine a nossa newsletter para receber conteúdos exclusivos como este!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This